17 de out de 2013

Encontro de Casais

Não percam hoje, Encontro de Casais na Terapia do Amor, às 19:30h.

Em comemoração ao mês de aniversário de casamento, o Pastor Anderson e Dona Natália irá abençoar cada casal, para que a mesma benção que eles possuem no seu casamento, esteja na sua vida sentimental.

"Melhor é serem dois do que um... porque se um cair, o outro levanta o seu companheiro; e o cordão de três dobras não se quebra facilmente." (Eclesiastes 4:9-12)


16 de out de 2013

Deus deve ser a base de seu relacionamento.

Participe da Terapia do Amor.
Quintas-feiras, às 19:30h.

Rua Waldemar Campanha, 48 - Centro
(Em frente ao Paço Municipal)


10 de out de 2013

Hoje na Terapia do Amor, vamos clamar por todos aqueles que desejam "DECOLAR" se você quer ver sua vida subir, esteja às 19:30h, na Rua Waldemar Campanha, 48 - Centro - SBC
(Em frente ao Paço Municipal)

3 de out de 2013

Quer ser feliz na vida sentimental? Mas o que você tem feito para ser feliz? 
Se você não lutar pela sua felicidade, quem vai lutar por você?
Não adianta querer ser feliz na vida sentimental sem lutar, tudo na vida exige sacrifício e perseverança.

Venha nesta quinta -feira lutar pela sua metade, porque a atitude que você toma hoje, definirá o seu amanhã....

Às 10h, 15h e especialmente às 19h30h.

Na catedral de São Bernardo.

6 de ago de 2012

EU! Somente Eu!


Reconhecer os próprios erros não é uma tarefa fácil para ninguém. Diante das pessoas até podemos mostrar uma aprovação no momento que recebemos aquela repreensão ou algo parecido, porém no íntimo sempre vem aquela voz de reprovação: "quem esta pessoa pensa que é? Ela acha que está com a razão, mas eu estou certo(a)! Não é justo falar assim comigo! O que eu penso e quero está certo e ponto final!". Entre outras... O engraçado é que várias pessoas nos alertam sobre os mesmos erros e defeitos e ainda assim insistimos em pensar que elas estão erradas e nós estamos certas. A verdade é que lá no íntimo (aquele mesmo que dá espaço para aquelas vozes) sabemos que estamos errados e precisamos mudar.


Talvez você não tenha percebido mas se mudar esse "EU" além de facilitar a sua vida, facilita também a das pessoas que te cercam. 

Não acredita? Faça o teste.




30 de jul de 2012

O MEDO DO 'NÃO'

O medo de receber um 'não' pode bloquear o poder de pedir.
Mas, e se começássemos a olhar para o 'não' como se fosse o degrau de uma escada? Deixe-me explicar...

27 de abr de 2012

Qual o verdadeiro significado da palavra "submissão" ?

Qual a intenção de Deus quando diz que a Mulher deve ser submissa ao marido?
Qual a correta interpretação para "submissão" no casamento?


Nesta quinta-feira (26), o Pastor Luciano, explicou o verdadeiro significado da palavra submissão.
O mundo não tem o verdadeiro conceito do que é submissão. Muitas mulheres acham que ser submissa é ser escrava, ser inferior ao homem. A mulher tem um papel muito importante na vida de um homem, mas Deus criou o homem para ser cabeça, para liderar, com isso muitas mulheres vão se diminuindo.
A bíblia diz que a mulher virtuosa é a mulher que cuida bem do seu casamento, que cuida bem da sua casa, que sabe reconhecer a autoridade do seu marido, e se vê como uma mulher importante, que precisa estar ali para organizar tudo.
A mulher que é sábia, ela entende que está ali para somar.
A submissão traz a ordem, todo lugar tem sua hierarquia, todos são importantes, mas o marido continua sendo o cabeça. A verdadeira submissão se compara com um corpo, um corpo humano não pode ter duas cabeças, então mulher submissa vê seu esposo como Jesus (cabeça) e ela como a igreja (corpo), conclui o Pastor Luciano.

26 de mar de 2012

Sim, amor e liberdade podem e devem caminhar juntos.

A prisão em um relacionamento significa falta de confiança.


Controlar aonde vai, não deixar sair com os amigos, não ter um tempinho para fazer suas coisas, tudo isso, e muito mais, indica um relacionamento que prende a pessoa, sem liberdade, e muitas vezes é chamado de amor. 


Porém, segundo a psicóloga Blenda de Oliveira, este tipo de relacionamento dependente e possessivo não pode ser considerado amor. "Quando não há liberdade, não se fala de amor". Amor é quando se sentem livres, com a opção de estarem juntos, dividindo e lidando com as diferenças.


"O verdadeiro amor proporciona crescimento e individualidade." E quando não existe esta liberdade, individualidade na relação, há sérias consequências. Se torna algo sufocante, pouco prazeroso, carregado de muito controle, impedindo o crescimento das pessoas envolvidas". Foi o que aconteceu com a publicitária Ana Paula Rocha, de 28 anos. "O meu ex queria controlar até mesmo minhas amizades no curso de inglês. Ficava na porta me esperando, para observar com quem eu conversava no final da aula. Eu me sentia angustiada durante a aula, porque eu sabia que ele estava lá fora, não pelo prazer de me buscar, ,as por uma obsessão dele, que chamava de amor."


Mas o contrário também não é positivo. Ter liberdade em excesso torna o relacionamento muito permissivo. "É como se um não se importasse mais com o outro, não cuidasse, porque tudo o que amamos, cuidamos, o que não significa controlar. Dá a sensação de um relacionamento muito solto, sem conhecimento profundo de quem é o outro", esclarece a psicóloga Blenda.
Segundo ela, a verdadeira liberdade se aprende principalmente pelo amor próprio. "Se a pessoa se ama em primeiro lugar, ela manterá a sua individualidade. Quando há uma boa autoestima, consegue-se viver melhor o relacionamento, sem medo de perder o outro. Passa a ser uma escolha e não obrigação de estar com o outro", diz.


Além de ter amor próprio, a psicóloga também dá outras dicas de como ter um bom relacionamento amoroso e livre. "É preciso cultivar a liberdade desde o começo, assim como deixar bem claro, o que gosta, como cada um vive a vida, seus valores. As coisas que desagradam devem ser faladas, já que o diálogo e a intimidade são fundamentais. Também é importante que um se interesse pelo que cada um vive, para que possam celebrar juntos as conquistas", finaliza.

13 de mar de 2012

Venha passar pelo Mar de Rosas.

Não percam nesse sábado (17/03), o último dia para passar pelo Mar de Rosas.
Onde o Pastor Ricardo juntamento com os obreiros da Terapia do Amor, clamam pela sua vida sentimental, para que você tenha uma resposta, para que a benção de Deus esteja na sua vida.


Sábado, às 19h.
Rua Waldemar Campanha, 48 - Centro - SBC
(Em frente ao Paço Municipal)

29 de nov de 2011

Namoro cristão


A pessoa cristã deve ter muito cuidado quando a questão é namoro, pois aquele que deseja agradar a Deus deve ter a consciência de que precisa se manter distante dos desejos carnais. Como afirmam as Escrituras Sagradas: “Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm. Todas as coisas me são lícitas; mas eu não me deixarei dominar por nenhuma delas.” (1 Coríntios 6:12)
A escritora Tânia Rubim, autora do livro “Escolhida Para o Altar”, fala sobre o namoro cristão. “Quem coloca os limites é o seu temor a Deus; ele que vai determinar até onde você pode ou deve chegar. Se você vê que certas atitudes ou situações, vão te levar ao pecado ou te podem fazer cair, então você tem que fugir delas”, ressalta.
Tânia Rubim se recorda da época em que ainda namorava. “Quando eu namorava, o pastor sempre ensinava que os casais de namorados deveriam namorar, com a Bíblia no meio. Mas como assim? Vou andar com a Bíblia na rua sempre que estou com meu namorado? Não! O que o pastor queria dizer era que, sempre que estivéssemos juntos, jamais poderíamos esquecer a Palavra de Deus e Seus ensinamentos para não desagradá-Lo. O temor a Deus iria ser o nosso freio”, conta.
Confira algumas dicas de Tânia Rubim para que o casal de namorados não caia em tentação:
- Evite ficar em lugares isolados, sem ninguém por perto. Eu me lembro que quando namorava na sala, minha irmã e minha mãe sempre estavam por perto. Ter uma “velinha” é sempre bom;
- Beijos prolongados também são perigosos, melhor evitá-los;
- Nunca ficar no escurinho;
- Nada de mãos passeando pelo corpo um do outro;
- Não ficar com o corpo grudado um no outro;
- Respeitar os horários impostos pelos pais;
- Quando sair, ir a lugares públicos; não ficar em locais reservados, sozinhos.